Para os que ainda não ouviram falar da Operação Prato, ela foi uma ação realizada pela Força Aérea Brasileira de 1977 a 1978, com o objetivo de observar e registrar estranhas manifestações relatadas pelos habitantes do município de Colares




O Coronel Uyrangê Hollanda Lima, que na época da Operação Prato era Capitão, dizia que, apesar de crer na possibilidade de vida extraterrestre não acreditava ser esse o caso dos registros visuais em Colares. Contudo mudou radicalmente a sua opinião durante o tempo em que esteve na região, pois teria visto, filmado e fotografado OVNIS sobrevoando a cidade, próximos aos locais onde sua equipe estava instalada.



 Mesmo tendo sido finalizada há três décadas e meia, a mais robusta missão militar de investigação ufológica da história ainda suscita debates e levanta polêmicas. A Operação Prato, conduzida secretamente pela Força Aérea Brasileira (FAB) no litoral fluvial do Pará, entre os meses de setembro e dezembro de 1977, foi a mais colossal atividade já realizada por militares para se investigar o Fenômeno UFO, que na época se manifestava geralmente na forma de bolas de luz, apelidadas pelos ribeirinhos de “chupa-chupa”. Eram objetos não identificados que emitiam raios de luz contra as vítimas, semelhantes a emissões de laser, através dos quais extraíam sangue. Foram centenas de casos, em especial na ilha de Colares, epicentro das manifestações, que resultaram em pelo menos quatro óbitos conhecidos.




Confira o vídeo do Linha Direta para saber mais sobre o caso: 



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem